• Ferramentas
  • 9 de fevereiro de 2022

7 melhores tipos de metodologias ágeis para usar na indústria

Assegurar a realização eficiente de desenvolvimento de um produto e que tenha coesão de sua entrega final com a sua proposta inicial é um dos grandes desafios da indústria. Para simplificar esse processo, surgiram alguns tipos de metodologias ágeis. O que ocorre é que otimizar a comunicação na equipe, deixá-la alinhada e direcionar esforços para o que foi determinado no começo do projeto torna-se muito complexo e é bem mais do que executar uma boa gestão.

As metodologias ágeis são utilizadas para gerenciar um projeto que envolve colaboração constante e trabalho com interações. Elas proporcionam inúmeras vantagens para a indústria, como em relação à comunicação, flexibilidade e redução de riscos, além de gerenciar equipes com tamanho reduzido e com profissionais mais experientes.

Neste post, listamos 7 dos principais tipos de métodos ágeis que podem ser usados na indústria. Acompanhe!

1. Kanban

Esse é um dos tipos de metodologias ágeis que é uma abordagem visual para gerenciamento de projetos em que as equipes criam representações físicas de suas tarefas, podendo ser realizada fisicamente ou em aplicativos online. As tarefas são movidas por estágios predeterminados, para rastrear o progresso e identificar obstáculos comuns na indústria.

O Kanban possui um sistema de utilização fácil e intuitivo. Além disso, ele apresenta um grande diferencial que é a visibilidade de tudo que a equipe está colocando em prática. O grande objetivo da metodologia é dividir as tarefas e os projetos em três etapas:

  • “TO DO” (tarefas que ainda serão executadas);
  • “DOING” (tarefas que estão sendo feitas por alguém);
  • “DONE” (tarefas finalizadas e entregues).

2. Scrum

Essa é uma metodologia em que uma pequena equipe é liderada por um Scrum master, cujo trabalho principal é eliminar todos os obstáculos para a conclusão do trabalho. Este é feito em ciclos curtos chamados sprints, porém a equipe se reúne diariamente para discutir as tarefas e os obstáculos atuais.

Devido ao fato de o trabalho ser dividido em iterações, as metodologias ágeis de desenvolvimento de software são consideradas iterativas. No caso do Scrum, essas iterações são conhecidas como sprints.

Em outras palavras, no Scrum, os projetos são divididos em ciclos chamados sprints, que geralmente são ciclos de 2 ou 3 semanas. O sprint se refere a um período no qual deve ser desenvolvido um conjunto de recursos. Vários sprints podem ser combinados para formar um release, no qual é feita para o cliente a entrega formal do produto.

3. Lean

O Lean é um método que ficou bastante conhecido no mundo das startups e de empresas mais modernas. Ele tem como tradução o termo “enxuto” e surgiu com o termo “Lean StartUp”, criado por Eric Ries. Seu principal objetivo é facilitar a identificação e acabar com desperdícios dentro de uma organização, ou quando um projeto estiver sendo executado.

Nesta metodologia ágil, são ideais para executar os processos somente os recursos necessários, isto é, é essencial minimizar custos, tornar as tarefas menos complexas, otimizar as entregas, maximizar a produtividade da equipe e também compartilhar com eficiência as informações.

4. FDD

Esta metodologia foi criada em Cingapura e integra as melhores práticas de outros métodos, como o Coad. O seu princípio básico possui como foco as suas funcionalidades, o que possibilita que toda a equipe realize planejamentos por etapas. Essa ação auxilia que todo o planejamento fique mais ágil no desenvolvimento de soluções em ambientes de grande incerteza, em que são inevitáveis as mudanças.

Nesta metodologia, a programação se inicia com a visão global de todo negócio, visto que esse método considera o somatório de tudo que é mais relevante em cada uma das partes de forma separada. Igualmente às outras metodologias ágeis, o FDD possui também as melhores práticas, objetivando a criação de um ambiente ideal para o desenvolver projetos.

Algumas boas práticas do FDD são:

  • fazer o teste no produto;
  • desenvolver funcionalidades;
  • fazer a gestão das configurações;
  • realizar o planejamento incremental;
  • fazer a integração contínua das funcionalidades;
  • fazer o controle da qualidade em cada uma das etapas do projeto;
  • utilizar apenas um programador por funcionalidade desenvolvida.

5. eXtreme Programming (XP)

A metodologia ágil XP tem foco em três valores: agilidade, economia e qualidade. Ela percorre os caminhos recomendados pelo cliente para conseguir apresentar um bom produto final e que realmente deixe o trabalho mais produtivo e eficaz. O método é fundamentado na comunicação entre as partes envolvidas e também em feedbacks sobre todas as fases de produção na indústria.

Por mais que ele seja muito utilizado no desenvolvimento de software, diversas funcionalidades podem também ser utilizadas em muitos outros cenários. É preciso que uma equipe que utilize o método XP baseie-se em valores, a fim de chegar à excelência nos produtos oferecidos, ou seja, um contrato de comportamentos que ofereçam bons resultados.

Por meio dessas ações, uma equipe que utiliza o XP é norteada em todas as atividades a serem desempenhadas, assegurando que haja muita sinergia e integração para um bom desempenho.

6. DSDM

DSDM, ou Dynamic System Development Model, é um tipo de metodologia ágil muito utilizada para desenvolver projetos e também softwares. Geralmente, ela é comumente usada em projetos com orçamentos fixos e de prazo conciso.

Sua principal característica é que a estrutura formada por processos de desenvolvimento possibilita mudanças em suas funcionalidades, caso o prazo de execução total permaneça o mesmo.

7. Microsoft Solutions Framework (MSF)

Essa metodologia surgiu no ano de 1994, quando houve uma junção de boas práticas pela Microsoft, oriunda de sua experiência ao desenvolver softwares e também serviços de consultoria. MSF é uma reunião das boas práticas que uma indústria utiliza e foi criada para uso interno na empresa, mas também pode ser usada pelos seus clientes.

Devido ao aumento na utilização das metodologias ágeis, a Microsoft criou uma variação do MSF, conhecida como MSF For Agile Software Development, que possui os seguintes princípios:

  • a visão é compartilhada por toda a equipe;
  • os fluxos de compartilhamento dos dados devem ser contínuos;
  • um diferencial de valor é o acompanhamento frequente do cliente;
  • a mudança e a adaptação são frequentes, trazendo melhores resultados;
  • é necessário evidenciar atividades que consigam entregar valor para os clientes;
  • a verificação e prevenção é função de todos, como garantia da qualidade dos processos e produtos;
  • com o aparecimento de novos desafios, é preciso manter a agilidade com mais flexibilidade.

Agora que você já conhece os principais tipos de metodologias ágeis e já sabe como algumas são inseridas na indústria, é o momento de usá-las e trazer benefícios para seu negócio. É importante ressaltar que, ao implementar essas novas metodologias na indústria, o recomendado é oferecer treinamentos para toda sua equipe de colaboradores.

Ficou alguma dúvida sobre o post? Gostaria de fazer alguma observação? Então, deixe seu comentário aqui e compartilhe conosco!

Quer ficar por dentro das nossas novidades?

Assine nossa newsletter