• EPI
  • 10 de fevereiro de 2021

Savings em saúde: 5 ferramentas para assegurar a saúde do colaborador nas indústrias

A segurança do trabalho é uma temática importante no âmbito da gestão empresarial e industrial. Além de estar diretamente associada aos savings em saúde, ela é sinônimo de proteção jurídica e qualidade de vida dentro das indústrias.

Mas afinal, o que são savings em saúde? Por que você precisa estar atento a esse indicador? Quais são as principais ferramentas aplicáveis à proteção da saúde dos trabalhadores da indústria?

Neste artigo, vamos responder a estas e outras questões relevantes sobre o tema. Ao final, você vai entender por que é tão importante para a sua empresa investir em proteção e garantir bons índices de saving em saúde. Acompanhe!

O que é o indicador de saving?

Saving é uma palavra em inglês que pode ser traduzida como “redução de custos”. Dessa forma, o indicador de saving reflete a otimização de despesas, a economia de recursos e a redução de prejuízos que podem ser alcançados em determinado período de tempo.

O saving permite mensurar resultados de um negócio, tanto no âmbito financeiro quanto em relação à performance organizacional. Nesse contexto, o saving em saúde nada mais é do que um indicador relacionado à redução de custos com saúde no âmbito de uma organização empresarial.

Ele está relacionado com estratégias de segurança do trabalho, pois esse é o principal mecanismo utilizado para favorecer a adoção de estratégias de proteção à saúde dos trabalhadores dentro das empresas.

Quais as 5 principais ferramentas para garantir a saúde do colaborador nas indústrias?

Quando se fala de savings em saúde, devemos, obrigatoriamente, mencionar os Equipamentos de Proteção Individual, também conhecidos como EPIs. São dispositivos utilizados por uma pessoa a fim de minimizar ou eliminar riscos que possam ameaçar a sua saúde ou segurança durante o exercício de uma atividade laborativa.

A Norma Regulamentadora nº. 6 traz todas as orientações acerca do assunto e deve ser seguida por todas as empresas, sob risco de penalização por parte dos órgãos de fiscalização. Ainda, o não atendimento à norma pode trazer prejuízos financeiros e jurídicos para a indústria.

Nesse contexto, o artigo 6.6.1 assim dispõe:

6.6.1 Cabe ao empregador quanto ao EPI:

a) adquirir o adequado ao risco de cada atividade;

b) exigir seu uso;

c) fornecer ao trabalhador somente o aprovado pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho;

d) orientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação;

e) substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado;

f) responsabilizar-se pela higienização e manutenção periódica;

g) comunicar ao MTE qualquer irregularidade observada; e,

h) registrar o seu fornecimento ao trabalhador, podendo ser adotados livros, fichas ou sistema eletrônico.

A seguir, elencamos as principais ferramentas utilizadas na indústria para a proteção da saúde e segurança dos trabalhadores. Confira!

1. Capacetes

Os capacetes de proteção são equipamentos, normalmente, feitos de material plástico e que têm a função de proteger o trabalhador de possíveis ferimentos provenientes de queda de objetos que estejam localizados em níveis superiores à cabeça.

Existem diversos tipos de capacetes no mercado e que atendem às necessidades de vários setores da indústria. Na construção civil, por exemplo, o capacete é um equipamento muito comum e utilizado por todos os trabalhadores que atuam em obras.

2. Óculos de proteção

O óculos é um EPI desenvolvido especialmente para a proteção dos olhos. Assim como o capacete, ele pode ser utilizado em diferentes situações. Confira o que a NR- 6 diz a respeito das indicações para uso desse EPI:

a) óculos de segurança para proteção dos olhos contra impactos de partículas volantes;

b) óculos de segurança para proteção dos olhos contra luminosidade intensa;

c) óculos de segurança para proteção dos olhos contra radiação ultra-violeta;

d) óculos de segurança para proteção dos olhos contra radiação infra-vermelha;

e) óculos de segurança para proteção dos olhos contra respingos de produtos químicos.

3. Luvas

As luvas de proteção são EPIS destinados à proteção dos dedos, mãos e punhos contra eventuais lesões e acidentes aos quais os trabalhadores são expostos. Há diversos tipos de luvas destinadas a proteção contra riscos de abrasão, corte, produtos químicos, temperatura e riscos biológicos. As mais comuns são as luvas de couro, de látex nitrílico, natural e as de fibras sintéticas.

[rock-convert-cta id=”1820″]

4. Protetores auriculares

Os ruídos são vibrações que se propagam pelo ar em formas de onda. A periculosidade deles nas indústrias está diretamente ligada à frequência e à intensidade dessas ondas.

O ouvido humano é mais sensível a alguns tipos de frequência, por isso, a exposição pode significar um risco para o trabalhador. Uma máquina em operação, por exemplo, tem alta intensidade. Para esse tipo de situação, é recomendado o uso de protetores auriculares.

A eficácia dos protetores está relacionada a sua capacidade de vedação acústica, ou seja, o ruído do ambiente. Sem uma vedação acústica efetiva, o excesso de ruído atinge o canal auditivo e compromete a audição.

A definição acerca do melhor protetor auditivo depende do nível do ruído, tipo de trabalho realizado e, sobretudo, as particularidades pessoais de cada trabalhador, dessa forma é bastante comum que alguns colaboradores, mesmo expostos aos mesmos ruídos, necessitem usar protetores diferentes.

5. Máscara

Por fim, as máscaras de proteção são EPIS recomendados especialmente para proteção respiratória. Muito comuns na área de saúde, elas também podem ser utilizadas na indústria, caso exista algum tipo de exposição a agentes de risco.

Esse é um tipo de proteção que ganhou bastante relevância e passou a fazer parte do dia a dia, devido ao risco de contaminação pelo COVID. É importante atentar-se ao modelo ideal a ser utilizado. Trabalhadores da área de saúde, normalmente mais expostos aos riscos, devem prioritariamente utilizar respiradores do tipo N95/PFF-2.

Qual a importância dos savings em saúde?

Os savings permitem ao gestor mensurar resultados de um negócio, tanto no âmbito financeiro quanto em relação à performance organizacional. Por isso, o saving em saúde é um indicador relacionado à redução de custos com saúde no âmbito de uma organização empresarial.

Além de ajudar nas estratégias de redução de despesas, eles são mecanismos importantes para a proteção da saúde e segurança dos seus trabalhadores.

Como você pode ver, existem diversos mecanismos de proteção, direcionados às particularidades de cada indústria. Avaliar as necessidades da sua empresa e estabelecer estratégias de proteção aos trabalhadores favorece a redução de custos, além de reduzir riscos trabalhistas.

Antes de adquirir equipamentos de proteção individual, faça uma pesquisa de mercado e priorize sempre empresas sérias e reconhecidas, que prezem pela qualidade final dos produtos desenvolvidos.

Agora que você já sabe o que são savings em saúde e a importância dos EPIS para a segurança e saúde dos trabalhadores, que tal conhecer soluções eficientes para a sua indústria? Entre em contato conosco e saiba como melhorar a proteção dos seus colaboradores.

Quer ficar por dentro das nossas novidades?

Assine nossa newsletter